Feedback: investir no colaborador é investir na própria empresa!

Antes de mais nada, gostaríamos de te fazer uma pergunta.

Como você teria recebido os próprios feedbacks que já deu?
Hoje, vamos abordar este e outros assuntos importantes sobre este tema polêmico, amado por uns e odiado por outros. E antes que você pense que já sabe tudo sobre ele, já damos uma dica de que feedback vai muito além da comunicação.

Bora lá?

Para uma melhor experiência com este conteúdo, vamos começar do começo!

Já ouvimos muito falar sobre feedback, mas o que este termo significa literalmente?

Na sua tradução do inglês para o português, feedback é a junção de feed (alimentar) e back (de volta). Ou seja, representa alimentar de volta, uma ação feita com base em ações, atitudes ou comportamentos.
Não falamos que não era tão simples?

Mas vamos lá. Nada mais é do que um conjunto de ideias e percepções levantadas a partir de condutas e experiências com outro profissional.

Mas pera aí! (Um parênteses enorme!)
Feedback não é algo que é feito somente de empresa para colaborador, também pode ser feito por clientes para uma empresa também.Mas hoje iremos abordar mais a primeira opção mesmo. 🙂

Okay! Agora que já explicamos o termo e um pouco sobre o que é, vamos agora para o segundo tópico. Que é…

Propósito
Aqui, está um dos pontos-chave deste artigo! Muitos profissionais confundem feedback com apenas a visão da empresa para com o colaborador, porém isto está longe de ser um feedback apropriado e eficaz.

O líder deve sim apontar percepções que tem como melhoria técnica e/ou outros alinhamentos, como cultura da empresa, postura do colaborador, entre outros assuntos, contudo, após o alinhamento, é interessante também que o líder peça um feedback para o próprio colaborador, muitas vezes, o funcionário fica intimidado com a situação ou se sente injustiçado por algum ponto que pode ter sido cobrado sem ter sido passado anteriormente. E esta abertura, demostra ao colaborador que a empresa está disposta a crescer com ele, o que é algo muito positivo para ambos.

Portanto, um bom feedback melhora a performance do colaborador, estreita relacionamentos e aumenta o nível de satisfação do colaborador e isso, consequentemente, vira uma receita de sucesso para a própria empresa!

Bacana, né? Agora, vamos falar sobre os tipos de feedback e como aplicá-los.

Muito provavelmente você deve ter lido “CSI” e cantou a musiquinha da abertura da série, né?
Mas é isso aí! Afinal, o conceito é parecido, pois consiste quase em uma investigação. Neste feedback é analisado: Situação, Comportamento e Impacto e seu objetivo é mostrar ao colaborador, de maneira neutra, o impacto de suas ações e comportamentos. Frisamos o “maneira neutra” porque não é pra se empolgar com a série e chegar puxando a cadeira, hein? (risos). Para aplicar, você pode fazer uma tabela com os tópicos do que ocorreu, qual foi o comportamento da pessoa e o impacto que isso trouxe.

Tipos de Feedback

Feedback SCI
Muito provavelmente você deve ter lido “CSI” e cantou a musiquinha da abertura da série, né?
Mas é isso aí! Afinal, o conceito é parecido, pois consiste quase em uma investigação.
Neste feedback é analisado: Situação, Comportamento e Impacto e seu objetivo é mostrar ao colaborador, de maneira neutra, o impacto de suas ações e comportamentos. Frisamos o “maneira neutra” porque não é pra se empolgar com a série e chegar puxando a cadeira, hein? (risos).

Para aplicar, você pode fazer uma tabela com os tópicos do que ocorreu, qual foi o comportamento da pessoa e o impacto que isso trouxe.

Feedback One-a-One
Este feedback consiste em reuniões mais regulares para melhorar o fluxo de informações da empresa, aperfeiçoar o direcionamento de carreira, melhorar o engajamento dos colaboradores e fortalecer a relação entre líder e liderado. E ele pode ser feito em formato de perguntas abertas, como:

·  Como você está se sentindo?
·  O que te deixa mais animado?
·  Com o que você está mais preocupado?

Esse tipo de abertura trás um engajamento enorme para o funcionário, pois ele percebe que a empresa se preocupa com seu bem-estar dentro de suas atividades cotidianas. 

Feedback Informal
Este feedback é muito utilizado para expressar uma avaliação objetiva e pontual sobre tarefas e atitudes no dia a dia.  Como:

·  Um elogio sobre uma tarefa bem feita;
·  Observações sobre um projeto que precisa ser reformulado;
·  E-mail para parabenizar a equipe com relação aos resultados;
·  Olhar sutil para aprovar ou desaprovar algo durante uma reunião

Feedback Pendleton
Este modelo foi criado pelo Professor David Pendleton da Henley Business School e tem foco na escuta. Ele traz uma experiência mais colaborativa e prioriza a voz de quem está recebendo o feedback.
O colaborador dá início à conversa e comenta sobre a situação em questão. Neste processo, ele acaba descrevendo o fato a partir do próprio ponto de vista.
Para aplicar, o líder pergunta ao colaborador suas percepções sobre tal atividade em questão e o deixa refletir sobre o que foi bom, o que pode ser melhorado e, depois, coloca suas percepções e fazem um plano juntos sobre o que foi acordado. Isso é o que chamamos de trabalho em equipe!

Bacana, né? Vemos a partir destes exemplos que feedback é muito mais do só falar ou ouvir, é um trabalho em conjunto para todos saírem ganhando!
Com certeza, se todas as empresas aplicarem estes métodos, sempre considerando a empatia nos processos, a visão de feedback pelo colaborador se torna algum muito mais agradável!

Gostou e quer saber ainda mais sobre feedback e suas aplicações?

Nós, da Happmobi, temos um curso que conta no detalhe pra você tudo que precisa saber de forma objetiva e leve!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *