Neuroaprendizagem: como ensinar seu cérebro a aprender!

Você sempre achou temas, como neurociência, muito complexos?

Hoje, vamos desmistificar isto!

Entender mais sobre o cérebro e como ele funciona pode melhorar muito a sua percepção sobre como usar diversos recursos ao seu favor. E este, além de ser um tema muito importante para a nossa vida pessoal, é um conhecimento muito viável para a vida profissional.

Topa aumentar o nível de conhecimento sobre este tema?
Então, vamos lá!

Vamos começar do começo: o que é Neuroaprendizagem?

Neuroaprendizagem é a aprendizagem captada pelo cérebro. Ou seja, são todos os conhecimentos adquiridos de forma cognitiva, como a linguagem, memória, foco atencional, abstração, planejamento, flexibilidade mental, tomada de decisão, entre outros.

Como funciona o processo de aprendizagem no cérebro?
As informações estocadas em diversas áreas do cérebro são acessadas através das inúmeras conexões neurais que temos, de forma conjunta. Um exemplo legal é fazer uma comparação com uma orquestra.

O aprendizado é sempre mental e corporal, e são desenvolvidos através do movimento, ciclos de atenção, alimentação e plasticidade cerebral, que é a capacidade de mudança e estrutura de acordo com experiências vividas.

Você já ouviu falar sobre Lifelong Learning?

Então, temos várias fases ao longo da vida, porém, geralmente, o estudo é mais incentivado quando criança e início da vida adulta. E estudos comprovam que a continuidade no processo de aprendizagem é muito saudável para nossa saúde mental.

O termo Lifelong Learning significa aprendizagem ao longo da vida e representa a necessidade de aprender e estimula o aprendizado de forma voluntária, proativa e permanente, seja no desenvolvimento pessoal, quanto no profissional. E isso está totalmente relacionado a neuroaprendizagem.
Então, vamos entrar mais afundo neste assunto!

 
A neuroaprendizagem possui 3 principais aspectos. Que são:

Intenção
Quais são as razões que me motivam a investir tempo e energia para aprender algo?
Quando vamos aprender sobre algo, primeiro devemos nos perguntar: “Estou aprendendo porque preciso ou porque quero?”
Quanto mais entendemos a importância de tal estudo, aumentamos o nosso interesse e, consequentemente, a nossa aplicação. Por isso, fica a dica quando for aprender algo novo, pense no principal benefício deste novo aprendizado.

 

Atenção
Minha atenção está dedicada durante o contato com o novo conhecimento?
Nesta etapa, é muito importante que se tenha foco atencional. A atenção a várias tarefas ao mesmo tempo, faz com que o cérebro receba muitos estímulos e isto prejudica a retenção e processamento da nova informação que está chegando. Uma dica bacana é identificar tudo aquilo que pode tirar a sua atenção e tomar algumas medidas para que isso não aconteça. Por exemplo, deixar o celular mais afastado, caso ele seja um fator de distração.

 

Memória
Será que conseguirei guardar os novos conhecimentos e relembrá-los depois?
Quando recebemos uma informação e colocamos atenção sobre ela, ela passa automaticamente para nossa memória.
Ao ler isto, você pode pensar: “Nossa, mas eu prestei tanta atenção e não consigo lembrar de nada!”. Talvez o seu “hd” esteja cheio. Sim, a nossa capacidade de memória é finita e pode ser comparada a uma capacidade de memória de um smartphone. Por isso, uma boa noite de sono é importante no processo de memorização. É o momento em que as lembranças são consolidadas.

Agora que vimos os principais passos da neuroaprendizagem, vamos te dar umas dicas de como aplicar no dia a dia.

Para estudos: 
Para conseguir memorizar mais facilmente um conteúdo, é necessário passar a informação da memória curta para a longa. Para isso, você pode utilizar a técnica da repetição que, basicamente, é repetir o estudo várias vezes. Mas não é apenas repetir o conteúdo, você tem que estudá-lo e digerir as informações detalhadamente. Após isso e também fazer uma revisão final, você pode utilizar uma técnica muito interessante: a técnica do questionamento elaborativo, que consiste em você mesmo simular perguntas (e responder) sobre o tema estudado.

 

Para ensinar:
A forma mais eficaz de passar um conteúdo de forma relevante para quem for aprender é utilizando a conexão. Pessoas que se identificam com exemplos, analogias e até mesmo façam conexões emocionais, são as que mais guardam as informações.  Esses eventos provocam mudanças significativas no cérebro e isso gera mais possibilidades de aprender.

Interessante, não?

Quer saber ainda mais sobre neuroaprendizagem e como aplicar isto dentro da sua empresa? Nós, da Happmobi, temos um curso especial sobre este tema, que é tão importante para nossa vida pessoal e profissional!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *