Os dados já fazem parte das nossas vidas. E na educação, você sabe como eles podem ser usados?

Já passou o tempo em que falar de dados mais parecia um bicho de sete cabeças. Isso porque hoje entendemos que eles estão presentes em nossas vidas e trouxeram inúmeros benefícios para nossas rotinas.

Do lado da educação digital, usar dados em treinamentos já é uma realidade para muitas empresas. Mesmo assim, ainda pairam dúvidas sobre o real impacto de trazê-los para o universo corporativo.

 

Por isso, compartilhamos neste texto três insights para mostrar como o entendimento da inteligência dos dados está mais próximo do que você imagina.

1.    Existe relação entre o seu app de comida com o engajamento que você espera ter nos treinamentos da sua empresa.

 

Calma que a gente explica o raciocínio por detrás dessa frase.

 

Escolher um novo lugar pra jantar é quase sinônimo de ver avaliações na internet antes de sair de casa, não é mesmo?!

Com os dados disponíveis, você encontra informações gerais, como horários de mais movimento e se as pessoas indicam o serviço. Além disso, também tem informações mais específicas, como clareza nas informações para quem tem restrições alimentares, acessibilidade do espaço, entre outras.

 

Isso quer dizer que, com os dados, você pode tomar uma decisão mais acertada sobre o local – e matar a fome sem medo de ser feliz!

 

Na educação digital, os dados nos levam a um caminho parecido.

Em um treinamento que conta com a inteligência de dados, você consegue ter uma visão ampliada dos indicadores. Dá para observar desde o comportamento geral dos colaboradores até aspectos específicos que precisam de atenção.

 

Com eles, a ação educacional das empresas fica mais estratégica e direcionada.

Analisando o macro e também o micro, os treinamentos se tornam uma importante ferramenta para alcançar os resultados esperados pela empresa.

 

É como se os dados nos dessem uma Super Visão Raio-X para apoiar a educação corporativa. 

2.   Suas playlists dizem muito sobre você! E os dados de treinamentos também podem falar muito sobre a ação educacional que a sua empresa precisa.

 

Quem usa serviços de streaming de música já sabe que dá para conhecer novos sons e artistas todos os dias, usando as recomendações feitas 

pelo programa. 

Os algoritmos estão na ativa para entender os seus gostos musicais e sugerir outros que provavelmente têm a ver com você. É estar aberto às possibilidades e mergulhar na novidade, tudo graças à inteligência de dados!

Este é um exemplo de jornada personalizada que você pode ter quando usa dados na vida real. E esse mesmo tipo personalização pode ser usada no contexto da educação. 

 

Quer ver só?

Um treinamento que conta com a captura de dados, você entende as dificuldades e habilidades dos colaboradores, e pode ver como se comportam em relação aos temas selecionados.

 

São essas informações preciosas que possibilitam que a ação educacional das empresas seja focada no que realmente precisa ser aprimorado, dando resultados mais rápidos e significativos.

Ou seja, é educação sem achismo e com jornadas personalizadas focadas no colaborador e nas melhorias que o negócio precisa, fortalecendo, assim, a cultura de aprendizagem da sua empresa. 😉

3.    Seguir sempre pelo mesmo caminho pode ser tranquilo…, mas isso não quer dizer que seja bom.

 

Se vamos em algum lugar de carro e usamos aplicativos para escolher qual caminho seguir, podemos saber em tempo real quais são as melhores rotas. E isso é feito com o cruzamento dos dados de trânsito para mostrar ao usuário a melhor alternativa para aquele dia e horário. 

 

Ou seja, tem dias que um caminho é ótimo, mas tem dias que é melhor evitá-lo. E isso quem mostra são os dados!

No universo da educação, os dados possibilitam que você observe o desempenho e a frequência dos colaboradores e entenda quais são os melhores dias e horários para treinar na sua empresa.

 

Com isso, é possível montar melhores estratégias e calendários mais assertivos a partir do conhecimento de como o público do treinamento se comporta, o que permite que a ação educacional aconteça, por exemplo, quando os colaboradores são mais produtivos e de acordo com a melhor rotina para os times.

 

Isso mostra que seguir calendários educacionais só porque “sempre foi assim” pode não ser a forma mais eficaz de se fazer um bom planejamento. Os treinamentos pensados a partir de evidências, otimizam o tempo da empresa e trazem mais resultados ao negócio.

 

 

Os dados são verdadeiros aliados da educação!

Como você viu, não há mistérios no uso de dados na educação digital: é muito parecido com o uso que fazemos em nosso dia a dia. No campo educacional, eles se tornaram verdadeiras ferramentas para apoiar estratégias nas empresas e podem deixar os resultados ainda mais próximos de serem alcançados.

 

E aí, já pensou em como lidar com os dados dos treinamentos da sua empresa, usando-os a favor do processo de aprendizagem? Fale com a gente que nosso time de especialistas pode ajudar a montar estratégias e trazer a inteligência dos dados para o contexto dos seus treinamentos corporativos. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *